A Igreja e os Pobres

A IGREJA E OS POBRES 

original:http://www.odiscipulo.com/php/pagina.php?doc=estudos/igreja_e_os_pobres

1. Definições:

  • Empatia: é olhar com o olhar do outro.
  • Simpatia: é um sentimento que vincula as pessoas umas às outras. “faculdade de participar das emoções de outrem, sejam elas quais forem”
  • Piedade, é sentir-se triste com a tristeza dos outros, não importa se objetiva ou subjetiva.
  • Compaixão é a virtude de compartilhar o sofrimento do outro. É sofrer com.

Mc 14:7 “Vós sempre tendes convosco os pobres e, quando quiserdes, podeis fazer-lhes bem”.

2. É preciso entender que a decisão é racional e não emocional: ‘quando quiserdes’.

A Compaixão é do Senhor e a atitude é nossa. Da mesma forma que Deus amou o mundo, por isso enviou Jesus, assim também o Senhor se compadece do pobre, do necessitado e nos envia a demonstrar essa compaixão.

A idéia que Jesus nos dá, quando fala, ‘quando quiserdes’ é que nós tomamos a decisão de amparar os pobres, ou não.

Gl 2:10 Recomendando-nos somente que nos lembrássemos dos pobres, o que também procurei fazer com diligência.

Nesse versículo Paulo recebe uma recomendação e toma a decisão de colocar isso como parte de seu ministério.

3. Orientações para Israel com relação aos pobres

Não rebuscavam quando colhiam
Le 23:22 E, quando fizerdes a colheita da vossa terra, não acabarás de segar os cantos do teu campo, nem colherás as espigas caídas da tua sega; para o pobre e para o estrangeiro as deixarás. Eu sou o SENHOR vosso Deus.

Ex 23:11 Mas ao sétimo a dispensarás e deixarás descansar, para que possam comer os pobres do teu povo, e da sobra comam os animais do campo. Assim farás com a tua vinha e com o teu olival.

4. Prática de Israel

Rt 2:2 E Rute, a moabita, disse a Noemi: Deixa-me ir ao campo, e apanharei espigas atrás daquele em cujos olhos eu achar graça. E ela disse: Vai, minha filha. 3 Foi, pois, e chegou, e apanhava espigas no campo após os segadores; e caiu-lhe em sorte uma parte do campo de Boaz, que era da família de Elimeleque.

5. O cuidado dos pobres como expressão de adoração e gratidão

Ed 9:22 Como os dias em que os judeus tiveram repouso dos seus inimigos, e o mês que se lhes mudou de tristeza em alegria, e de luto em dia de festa, para que os fizessem dias de banquetes e de alegria, e de mandarem presentes uns aos outros, e dádivas aos pobres.

Provérbios 14:31 O que oprime ao pobre insulta aquele que o criou, mas o que se compadece do necessitado honra-o

6. A assistência aos pobres – uma manifestação da Justiça de Deus, através de pessoas

Pr 29:7 O justo se informa da causa dos pobres, mas o ímpio nem sequer toma conhecimento.

Dn 4: 27 Portanto, ó rei, aceita o meu conselho, e põe fim aos teus pecados, praticando a justiça, e às tuas iniqüidades, usando de misericórdia com os pobres, pois, talvez se prolongue a tua tranqüilidade.

Pv 29:7 O justo se informa da causa dos pobres, mas o ímpio nem sequer toma conhecimento.

Pv 29:14 O rei que julga os pobres conforme a verdade firmará o seu trono para sempre.

Pv 31:9 Abre a tua boca; julga retamente; e faze justiça aos pobres e aos necessitados.

7. Cuidar dos pobres é uma expressão da religião verdadeira

MT 19:21 Disse-lhe Jesus: Se queres ser perfeito, vai, vende tudo o que tens e dá-o aos pobres, e terás um tesouro no céu; e vem, e segue-me.

Lc 14: 12 E dizia também ao que o tinha convidado: Quando deres um jantar, ou uma ceia, não chames os teus amigos, nem os teus irmãos, nem os teus parentes, nem vizinhos ricos, para que não suceda que também eles te tornem a convidar, e te seja isso recompensado. 13 Mas, quando fizeres convite, chama os pobres, aleijados, mancos e cegos, 14 E serás bem-aventurado; porque eles não têm com que to recompensar; mas recompensado te será na ressurreição dos justos.

Tg 1:27* A religião pura e imaculada para com Deus, o Pai, é esta: Visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações, e guardar-se da corrupção do mundo.

Lucas 19:8 E, levantando-se Zaqueu, disse ao Senhor: Senhor, eis que eu dou aos pobres metade dos meus bens; e, se em alguma coisa tenho defraudado alguém, o restituo quadruplicado (Hoje entrou salvação… também é filho de Abraão)

8. O pecado de Sodoma e Gomorra

Ez 16:49 Eis que esta foi a iniqüidade de Sodoma, tua irmã: Soberba, fartura de pão, e abundância de ociosidade teve ela e suas filhas; mas nunca fortaleceu a mão do pobre e do necessitado.

9. Algumas promessas de Deus, com relação aos pobres

Provérbios 19:17 Ao SENHOR empresta o que se compadece do pobre, e ele lhe pagará o seu benefício (para o que dá aos pobres)

Sl 9:18 Porque o necessitado não será esquecido para sempre, nem a expectação dos pobres perecerá perpetuamente.

Sl 14:6 Vós envergonhais o conselho dos pobres, porquanto o SENHOR é o seu refúgio.

10. O ministério do Messias foi pautado por esse cuidado

Isa 11:4 Mas julgará com justiça aos pobres, e repreenderá com eqüidade aos mansos da terra; e ferirá a terra com a vara de sua boca, e com o sopro dos seus lábios matará ao ímpio,

Isa 14:30 E os primogênitos dos pobres serão apascentados, e os necessitados se deitarão seguros; porém farei morrer de fome a tua raiz, e ele matará os teus sobreviventes.

Lc 4:18 O Espírito do Senhor é sobre mim, Pois que me ungiu para evangelizar os pobres. Enviou-me a curar os quebrantados do coração,

11. Cobiça e a sepultura nunca dizem basta

O desejo de “ter” e o consumismo tem produzido uma sociedade que não se importa com os pobres.

A existência de milhões de empobrecidos é a negação radical da ordem democrática. A situação em que vivem os pobres é critério para medir a bondade, a justiça e a moralidade, enfim, a efetivação da ordem democrática. Os pobres são os juízes da vida democrática de um país.

Existe no entanto outra maneira, também antiga, de tratar o problema. A idéia de que as causas da pobreza e os caminhos para sua solução não dependem da vontade ou do caráter dos indivíduos, mas das relações entre as pessoas; Isto sempre esteve presente nas formas mais radicais do cristianismo, e, na época moderna, nos escritos e movimentos políticos socialistas e comunistas. Para uns, a solução dependia ainda de uma regeneração moral, não mais dos pobres, mas dos ricos, cujo egoísmo e avareza deveriam ser transformados em verdadeira caridade e sentimento de justiça.

12. A medida do Juízo de Deus é o que fizemos aos pequeninos

MT 25:31-46 E quando o Filho do homem vier em sua glória, e todos os santos anjos com ele, então se assentará no trono da sua glória; E todas as nações serão reunidas diante dele, e apartará uns dos outros, como o pastor aparta dos bodes as ovelhas; E porá as ovelhas à sua direita, mas os bodes à esquerda. Então dirá o Rei aos que estiverem à sua direita: Vinde, benditos de meu Pai, possuí por herança o reino que vos está preparado desde a fundação do mundo; Porque tive fome, e destes-me de comer; tive sede, e destes-me de beber; era estrangeiro, e hospedastes-me; Estava nu, e vestistes-me; adoeci, e visitastes-me; estive na prisão, e fostes ver-me. Então os justos lhe responderão, dizendo: Senhor, quando te vimos com fome, e te demos de comer? ou com sede, e te demos de beber? E quando te vimos estrangeiro, e te hospedamos? ou nu, e te vestimos? E quando te vimos enfermo, ou na prisão, e fomos ver-te? E, respondendo o Rei, lhes dirá: Em verdade vos digo que quando o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes. Então dirá também aos que estiverem à sua esquerda: Apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos; Porque tive fome, e não me destes de comer; tive sede, e não me destes de beber; Sendo estrangeiro, não me recolhestes; estando nu, não me vestistes; e enfermo, e na prisão, não me visitastes. Então eles também lhe responderão, dizendo: Senhor, quando te vimos com fome, ou com sede, ou estrangeiro, ou nu, ou enfermo, ou na prisão, e não te servimos? Então lhes responderá, dizendo: Em verdade vos digo que, quando a um destes pequeninos o não fizestes, não o fizestes a mim. E irão estes para o tormento eterno, mas os justos para a vida eterna.

13. A pobreza é uma conseqüência direta do pecado.

14. Fatores que geram pobreza

  • Egoísmo – Concentração de renda
  • Má Administração
  • Políticas erradas – que trabalham no curto prazo, sem continuidade
  • Desperdício – por falta de conhecimento da situação ao redor – (Filosofia da Obsolescência)
  • Valores equivocados – Coisas são mais importantes que pessoas – ter é mais importante que ser – grandes construções que não contribuem para a melhoria de vida dos seus membros.
  • Descuido com o ambiente
    – degradação e empobrecimento da terra
    – tentativas de correção (enriquecimento) com o uso de produtos químicos provocando, com isso, maior desequilíbrio do ambiente
    – uma conseqüência direta -> ‘inchaço’ dos centros urbanos com degradação da qualidade da vida
  • Cultura colonizadora extrativista
    – O que posso tirar?
    – Qual vantagem posso auferir?
    Exemplos:

    • Portugal e suas colônias,
    • EUA – e o petróleo nos países produtores
    • China
    • O peixe em Guiné Bissau
    • Petróleo em Angola, Sudão (empréstimo de dinheiro e compromisso de contratar os serviços dos chineses
    • Carvão de Moçambique
    • Exaurindo os insumos e produzindo “exportação” de empregos

15. Qual a tarefa da Igreja?

  • Os pobres precisam ser incluídos na ação proposital da Igreja
  • A Igreja Precisa ser mais “terrenal” e menos “celestial” em suas ações, ainda que o seja em sua expectativa. As ‘ruas de ouro’ com suas ‘mansões’ criaram uma expectativa falsa gerando um conformismo com o status quo.
  • A Igreja precisa perder a mentalidade capitalista de juntar e caminhar para o repartir e o espalhar.
    • Ec. 11:1,2; 2Co 9:9 – Lançar o pão sobre as águas, repartir com sete e com oito, espalhar, dar aos pobres
    • Precisa adquirir uma mentalidade comunitária e cooperativista, com empreendimentos que possam mudar a forma de vida das pessoas de forma holística: ressurreição espiritual, renovação da mente, mudança comportamental e melhoria da vida.
    • Precisa sair do sistema que aduba o sistema financeiro opressor, isso significa usar menos os bancos e investir mais na vida das pessoas, seja promovendo o empreendedorismo, seja pagando cursos para aprimoramento ou mudança de profissão.
  • original:http://www.odiscipulo.com/php/pagina.php?doc=estudos/igreja_e_os_pobres 

    Alberto Art’foto

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s